[views count="1" print="0"]

Dias Toffoli diz “não saber de nada” sobre manifestação no dia 15

“Não sei de nada”. A função última do poder judiciário é promover a pacificação social. É necessário que a sociedade também atue de forma cooperativa”, disse Toffoli.
Dias Toffoli
Dias Toffoli

Foto: Agência Brasil

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), José Dias Toffoli, se recusou a falar da iniciativa do presidente Jair Bolsonaro em conclamar a população a participar de manifestações agendadas para o domingo (15) em apoio a seu governo.

“Não sei de nada”. A função última do poder judiciário é promover a pacificação social. É necessário que a sociedade também atue de forma cooperativa”, disse Toffoli em discurso na abertura do XXI Congresso Internacional de Arbitragem Marítima, no Rio de Janeiro. O presidente do STF disse ainda que “o Brasil tem orgulho de sua magistratura e de seu Judiciário”.

As manifestações são organizadas por ativistas conservadores e têm bandeiras como a defesa do governo e das Forças Armadas, além de fortes críticas ao Congresso. Nas redes, há algumas convocações de caráter autoritário, pedindo o fim do Legislativo e do Supremo Tribunal Federal.

No sábado (7), Bolsonaro convocou a população a participar do protesto no dia 15 de março durante pronunciamento em Boa Vista, Roraima. O argumento é de que o ato não é contra o Congresso ou o Judiciário, “mas sim a favor do Brasil”. O vídeo foi compartilhado no Twitter de Bolsonaro.

A organização do protesto tomou forma após o ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), Augusto Heleno, dizer, em fala captada por transmissão na internet, que o governo era alvo de chantagem em disputa por controle do Orçamento da União.

Em Roraima, Bolsonaro afirmou ainda que o movimento quer mostrar que quem dá o norte para o Brasil é a população. “É um movimento espontâneo, e o político que tem medo de movimento de rua não serve para ser político”, afirmou. “Então participem, não é um movimento contra o Congresso, contra o Judiciário. É um movimento pró-Brasil.”

Fonte; Folha de São Paulo

Tags:
Compartilhar Post:
Especial Publicitário