Pesquisar
Close this search box.

Erika Hilton aciona MPF para investigar empresa organizadora de show

Parlamentar disse que as organizadoras de eventos não devem considerar os clientes como 'mercadorias'
Especial Publicitário
Deputada Erika Hilton - MPF
(Fotos: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados e Instagram @cbenevidesm)

Brasil – A deputada trans Erika Hilton acionou o Ministério Público Federal (MPF) para investigar a empresa organizadora do show da cantora internacional Taylor Swift, pela falta de acesso à água durante a realização do evento na noite dessa sexta-feira (17), no Rio de Janeiro, e que motivou a morte da jovem Ana Clara Benevides, de 23 anos.

Hilton declarou que a água é um direito e que as empresas não deve considerar a saúde das pessoas como mercadorias e que a hidratação é primordial durante a onda de calor que o estado passa nos últimos dias, com sessão térmica chegando a 60ºC.

“Água é Direito. Vejo como criminosa a proibição que o público entrasse com ÁGUA no show da cantora Taylor Swift no Rio ontem, onde ocorreu uma morte atribuída ao calor. Por isso, estou denunciando ao Ministério Público Federal a empresa Time 4 Fun, organizadora do evento. A hidratação é essencial durante uma onda de calor como a que estamos enfrentando e não pode ser vista como fonte de lucro”, escreveu a parlamentar no X, antigo Twitter.

Erika defende, ainda, que a venda de água nessa situação é cruel e a logística é quase impossível em um evento de grande porte. Além da morte da jovem, há relatos que mais de mil pessoas também desmaiaram e que a equipe da cantora teve que distribuir água aos fãs. A deputada também lamentou a morte de Ana Clara.

“Infelizmente a T4F não compartilha dessa visão. Há relatos também de cerca de 1.000 desmaios durante o show, restando à equipe da própria artista distribuir água aos fãs em um ambiente que registrou sensação térmica de 60°. A venda de água nessa situação, além de cruel, torna-se também um pesadelo logístico para seu fornecimento, impedindo que o público acesse o que há de mais básico com facilidade e colocando-o em situação de risco. A saúde das pessoas não é mercadoria. E as empresas que atentam contra ela precisam ser responsabilizadas. Aos familiares e amigos da Ana Clara, meu mais profundo pesar e minha solidariedade”, finaliza.

Leia mais:

Receba notícias do Portal Tucumã no seu WhatsApp e fique bem informado!
CLIQUE AQUI: https://cutt.ly/96sGWrb

Tags:
Compartilhar Post:
Especial Publicitário