Pesquisar
Close this search box.
[views count="1" print="0"]

Mourão sobre homossexualidade no Exercito: “Sempre teve”

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão (PRTB), afirmou que sempre existiu homossexualidade dentro das Forças Armadas, mas “dentro da disciplina e da hierarquia”.

A declaração foi feita durante entrevista com Pedro Bial, na TV Globo, transmitida na noite dessa terça-feira (16/07/2019). “É uma questão delicada. Transgênero só existe um caso ou dois, se houver. Homossexualidade sempre houve, agora, dentro da disciplina e da hierarquia”, disse Mourão.

“Sendo mantidas dentro da disciplina e hierarquia, as coisas aconteceram e as pessoas que tinham essa opção sexual seguiram a sua vida até o final do período dentro da Força e saíram”, completou o vice-presidente.

Coronel Ustra

O vice ainda elogiou a atuação do coronel Brilhante Ustra, único declarado torturador durante a ditadura militar pela Justiça: “Foi um exemplo para mim”.

Mourão disse se identificar com todos aqueles que cumprem um dever e disse não considerar Ustra torturador. Mourão foi comandado do coronel entre 1978 e 1979, no 16º Grupo de Artilharia de Campo, em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul.

“A maioria das pessoas presas durante aquele período argumenta que foi torturada. Acho que alguns podem ter ocorridos e outros não, mas desconheço que o coronel Ustra tenha feito isso pessoalmente. Ele foi meu comandante dois anos e foi um exemplo de soldado para mim”, pontuou.

Apesar da admiração, Mourão afirmou que nenhuma tortura é justificável. “Eu me identifico com aquele que cumpre seu dever, custe o que custar. Eu não justifico a tortura em circunstância nenhuma. Acho que a tortura se aproveita da incapacidade do prisioneiro”, disse, ao nomear a ditadura como “período de presidentes militares”.

Tags:
Compartilhar Post:
Especial Publicitário
plugins premium WordPress