Pesquisar
Close this search box.

Existem 50 bilhões de pássaros selvagens no mundo, revela cálculo extraordinário de cientistas

Os pesquisadores descobriram que existe um total aproximado de pouco mais de 50 bilhões de pássaros selvagens no planeta, seis vezes mais que pessoas
Especial Publicitário
Existem 50 bilhões de pássaros selvagens no mundo, revela calculo extraordinário de cientistas
Existem 50 bilhões de pássaros selvagens no mundo, revela calculo extraordinário de cientistas

Um grupo de pesquisadores concluiu com sucesso um dos maiores estudos de dados desse tipo já realizados, com o objetivo elevado de contar quantos pássaros selvagens habitam a Terra.

Seu número final foi calculado combinando mais de um bilhão de avistamentos por cerca de 600.000 colaboradores de observação de pássaros registrados no portal de ciência do cidadão eBird, com estudos de caso científicos adicionais. 

O conjunto de dados combinado foi então alimentado em um algoritmo de escala que pode extrapolar com precisão uma contagem, com base nos números fornecidos para cerca de 9.700 espécies de pássaros.  

Os pesquisadores descobriram que existe um total aproximado de pouco mais de 50 bilhões de pássaros selvagens no planeta, ou mais de seis vezes a população humana.

“Os humanos se esforçaram muito para contar os membros de nossa própria espécie – todos nós 7,8 bilhões”, diz o ecologista Will Cornwell, da Universidade de New South Wales (UNSW) em Sydney, Austrália. “Este é o primeiro esforço abrangente para contar um conjunto de outras espécies.”

Cerca de quatro espécies de aves selvagens foram classificadas no chamado ‘clube bilionário’: o pardal, o estorninho europeu, a andorinha de celeiro e a gaivota-de-bico-redondo. 

Enquanto isso, cerca de 12% das espécies de pássaros são estimadas em uma população mundial de menos de 5.000. 

Os cientistas esperam que o método decole e se torne mais comum, permitindo aos pesquisadores monitorar com mais eficácia várias espécies de animais com as quais compartilhamos nosso planeta. 

Eles, entretanto, admitem um certo grau inevitável de incerteza nos números, devido aos observadores de pássaros procurarem certas espécies mais do que outras, padrões migratórios entre certos tipos de pássaros e uma variedade de fatores complicadores adicionais.

Em vez disso, o valor bruto final é uma média mediana das estimativas geradas ao longo do estudo. A média real é de 428 bilhões. 

No futuro, os cientistas esperam repetir a pesquisa a cada poucos anos para fornecer uma contagem de pássaros ainda mais precisa, ao mesmo tempo que ajudam os esforços de conservação por meio do monitoramento das mudanças populacionais. 

“Ao contar corretamente o que está lá fora, aprendemos quais espécies podem ser vulneráveis ​​e podemos rastrear como esses padrões mudam ao longo do tempo – em outras palavras, podemos entender melhor nossas linhas de base”, diz o biólogo Corey Callaghan, do Centro Alemão de Pesquisa Integrativa de Biodiversidade (iDiv) Halle-Jena-Leipzig na Alemanha.

Leia também: Diretor de cinema iraniano é morto e esquartejado pelos pais por não ter casado

Tags:
Compartilhar Post:
Especial Publicitário