Pesquisar
Close this search box.

Praça da Matriz vira ponto de prostituição e consumo de drogas

Especial Publicitário

Um dos principais cartões postais de Manaus se torno em menos de dois anos após reforma, novamente, um local de abrigo para moradores de rua, palco do consumo de drogas e prostituição. A Praça XV de Novembro, também conhecida como Praça da Matriz, no bairro Centro, deixou de receber manutenção e policiamento adequado, deixando o local passível de problemas. Em um breve passeio pelo local, nesta sexta-feira,13, a reportagem do Portal Tucumã ouviu frequentadores, que reclamaram das condições da praça.

Logo quando foi reinaugurada, em 15 de novembro de 2017, a Praça da Matriz, que abriga a Catedral de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de Manaus, ostentava a estrutura de um grande parque de lazer, daí o motivo do novo nome, que passou a se chamar, Parque da Matriz, pela própria Prefeitura de Manaus. Juntamente com a revitalização, o local ganhou policiamento diário de agentes em bicicletas, quiosques novos, sem a presença dos camelôs, que segundo o poder público, poluía a imagem do local e congestionava o fluxo, acabaram sendo realocados para as galerias.

Mas com o passar do tempo, a falta de manutenção e olhar das autoridades, resultou novamente em um ambiente insalubre, frequentável durante o dia, mas arriscado durante a noite por conta dos assaltos. “Está faltando mais policiamento aqui, porque bandido tem muito, mas segurança tem pouca. Basta dá uma olhada ao redor e ver que não tem nenhum policial. Andar aqui a noite só se for para ser assaltado”, disse Adonai, frequentador da Praça.

Áreas comuns nas laterais da Catedral de Nossa Senhora da Conceição foram tomadas por garotas de programa e pessoas em situação de rua que não tem onde morar, e acabam aproveitando a grama e o ambiente para dormir, e se alojar em plena luz do dia. Ao perceber a chegada da reportagem, algumas garotas de programa se afastaram, e não quiserem dar entrevista para falar sobre a situação da praça.

“Mesmo com a estrutura ainda conservada, a falta de vigilantes permitiu que o nosso cartão postal, que antes dava para passear com a família, ficasse abandonado desta maneira”, disse a comerciante Marlúcia Lopes, que convive diariamente com os problemas da Praça da Matriz. “Tomara que o poder público volte a olhar melhor para situação do Centro, não basta gastar milhões em reformas, e não cuidar para manter”, completou.

Da redação

Tags:
Compartilhar Post:
Especial Publicitário